para o topo

Sobre o hotel

A história do Palácio

Localizado em pleno centro histórico da vila de Paço de Arcos (Paço d'arcos) poucas dúvidas parecem haver de que foi o Palácio dos Arcos que deu o nome à vila.

Construído nos finais do século XV e reedificado três séculos depois, o Palácio deve o seu nome Por seu turno, o Palácio às duas imponentes torres laterais que enquadram um corpo central com uma espaçosa varanda sustentada, justamente, por arcos.

Amante de caça, D. Manuel I, o Venturoso e a sua filha, passava temporadas no Palácio dos Arcos para participar nas caçadas da Quinta do Morgadio. Reza a história que foi das varandas do Palácio dos Arcos que D. Manuel I viu partirem as naus e caravelas portuguesas a caminho da Índia.

Mais tarde, também outros reis de Portugal (D. Fernando, D. Luís e a rainha D. Maria Pia) se deslocavam constantemente a este Palácio para, entre outras coisas, poderem assistir às célebres regatas de Paço de Arcos.

Pertencendo inicialmente a Antão Martins Homem que era o segundo capitão da Vila da Praia, o Palácio dos Arcos viria a fazer parte do morgadio de Paço de Arcos D. Teresa Eufrásia de Meneses em 1698. Mais tarde D. Teresa Eufrásia de Meneses passou a deixar o legado do morgadio a D. Jorge Henriques, o Senhor das Alcáçovas. Muitos anos depois, o Palácio dos Arcos foi adquirido pela família Lencastre, cujo brasão ainda se encontra exposto na varanda do edifício.


O Palácio dos Arcos mantém ainda uma capela com um altar barroco, que foi dedicado nício a Nossa Senhora do Rosário.

Marcado por tantas histórias aí vividas por reis e suas cortes, o Palácio dos Arcos, berrante no seu tom torrado às portas da vila de Paço de Arcos, renasceu em 2013 como um sedutor hotel de charme com um encanto só equiparável ao conforto que oferece.



Localização privilegiada

Localizado no lado nascente da freguesia de Paço d’Arcos, em pleno centro histórico da vila, o hotel Vila Galé Collection Palácio dos Arcos é o cartão-de-visita desta freguesia, a mais importante do concelho de Oeiras, distrito de Lisboa. 

A magnífica vista para o Rio Tejo na costa de Lisboa e a distância de apenas 15 minutos dos centros históricos de Lisboa e Cascais, faz deste um hotel privilegiado.


Instalações e decoração

No renovado interior daquela que é a primeira unidade de cinco estrelas do Grupo Vila Galé em Portugal  somos confrontados, a cada passo, com a poesia de Florbela Espanca, Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes, Eugénio de Andrade e tantos outros que se eternizaram graças à excelência dos seus poemas. Como já se vê é a poesia o tema dominante deste hotel o que fez renascer o espírito do Palácio.

A entrada no Collection Palácio dos Arcos faz-se pelo edifício apalaçado onde se encontra a receção. Logo a seguir encontramos o bar Pessoa Lounge ladeado pela biblioteca, vinoteca e pelo irresistível restaurante Inevitável, responsabilidade do chefe Francisco Ferreira.

O bar, salpicado de apontamentos dourados e carmins, prolonga-se pela varanda debruçada sobre a marginal  onde todas as tardes é servido o “Chá da Rainha”.

O deslumbrante edifício original acolhe apenas três quartos e duas suítes; os restantes 71 quartos - três dos quais são suítes - o spa Satsanga e a piscina exterior situam-se na parte moderna do hotel que, construída de raiz,  em nada prejudica a harmonia da vila.

Para além dos espaços de lazer, também existem neste hotel infra estruturas dedicadas ao segmento de negócios e eventos.

A Sala Luis Vaz de Camões é o palco principal deste tipo de iniciativas tendo já recebido, entre outros, casamentos, batizados, conferências, reuniões e apresentações de novos produtos no mercado. Para além desta sala, o hotel conta ainda com 2 salas para pequenos eventos, a terceira sala do restaurante Inevitável e a sua mezzanine.

Vontade não faltará para conhecer o Vila Galé Collection Palácio dos Arcos, um hotel diferenciador não só pelo requinte e qualidade das instalações, como também, e sobretudo, pelos serviços disponibilizados.